Blog

Variação das classes dos respiradores Sem Manutenção

Você conhece a diferença entre eles?

Os respiradores do tipo peça semifacial filtrante são EPI’s classificados como Equipamentos de Proteção Respiratória para partículas. Como já mencionado em outro artigo, recebem aqui no Brasil a sigla de PFF que vem acompanhada do número 1, 2 ou 3 representando a classe do filtro. Dentre as diversas especificações estipuladas pela norma ABNT/NBR 13.698:2011, a classe do filtro está intimamente ligada a dois ensaios:

a) Ensaio de penetração através do filtro(*);

b) Ensaio de resistência à respiração. 

Este ensaio, que alguns denominam como eficiência de filtração, é mensurado em um teste laboratorial em condição extrema e pode não representar a realidade durante o uso comum.  

classes-dos-respiradores

Todos requisitos e ensaios determinados pela norma são avaliados pelo INMETRO. Para classificar o filtro de uma PFF como 1, 2 ou 3, os ensaios mencionados no parágrafo anterior são fundamentais. Seus parâmetros máximos são:

  • PFF1 – 20% (1) / 210 Pa (2)
  • PFF2 – 6% (1) / 240 Pa (2)
  • PFF3 – 1% (1) / 300 Pa (2)

Obs.1: Penetração máxima do aerossol de ensaio em % (Ensaio com cloreto de sódio com fluxo contínuo de ar de 95 L/min) – idêntico à norma europeia.

Obs.2: Máxima resistência à respiração permitida na inalação em Pascal (Fluxo de ar contínuo de 95 L/min). 

“Esses são parâmetros máximos, contudo, especialmente, quanto menor o valor de resistência à respiração um fabricante puder entregar em seu produto, muito mais confortável torna-se o uso do respirador, possibilitando ao usuário maior tempo de uso contínuo e favorecendo a integridade da vedação durante esse período”!

Salvo alguma determinação legal ou norma técnica em contrário, a recomendação geral para cada classe de filtro é a seguinte:

  • PFF1 – Poeiras e névoas em geral;
  • PFF2 – Poeiras e névoas em geral + Fumos Metálicos (particulados gerados em processos térmicos);
  • PFF3 – Poeiras e névoas em geral + Fumos Metálicos (particulados gerados em processos térmicos) + Radionuclídeos + Particulados altamente tóxicos.

É fundamental que a seleção de um Equipamento de Proteção respiratória seja realizada por pessoa capacitada. Ela deve seguir as recomendações dispostas nas Normas Regulamentadoras na publicação “PROGRAMA DE PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA – RECOMENDAÇÕES, SELEÇÃO E USO DE RESPIRADORES” da FUNDACENTRO.

Ainda tem dúvida sobre o assunto e precisa de ajuda? Deixe seu comentário ou entre em contato, estamos prontos para te ajudar.